Please reload

Posts Recentes

E aí vamos nós nos prevenir... Vacina de febre amarela!

2 Mar 2016

Ao programar uma viagem, de repente, descobrimos que temos que tomar vários cuidados e dentre eles a vacina da febre amarela e ai ficamos sem saber onde tomar, quando tomar, o que é aquele tal de certificado internacional...Vamos esclarecer as dúvidas!

 

Vacina da Febre Amarela

 

Alguns países exigem que o visitante seja vacinado contra febre amarela, essa vacinação  é recomendada para todos os viajantes com mais de 9 meses de idade que irão para áreas onde há evidência de transmissão do vírus da febre amarela persistente ou periódica, normalmente é exigida por alguns países quando o viajante vem de um país com risco de transmissão e para quem transitou por mais de 12 horas no aeroporto de um país com risco de trasmissão dessa doença; A vacinação deve ser feita com no mínimo 10 dias de antecedência da viagem, caso isso não ocorra, você poderá ser barrado na entrada do país. Fique muito atento se seu voo terá alguma escala, ou você transitará por fronteira ou algum porto em países que exijam essa vacinação, nesse caso é indicado que você tome a vacina, ainda que o seu destino final não a exija. Somente o ato de tomar a vacina e receber o comprovante não é suficiente, é necessário que o viajante tenha o CIVP, que é o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia; mas vamos explicar passo-a-passo. Primeiro você precisa saber se o país que você vai visitar exige a vacinação, abaixo a lista completa dos países que exigem ou recomendam a vacinação: Resolvi colocar aqui todos os países informados no site da Anvisa, até mesmo aqueles que eu nunca ouvi falar e nem sei onde fica no mapa, afinal quando eu li a frase “Não conheço o mundo inteiro, mas está na minha lista”, me identifiquei e acredito que muitos viajantes sonhadores também se identificam...

(OBS: ATENTEM-SE QUE O BRASIL TEM PASSADO POR UM SURTO DE FEBRE AMARELA EM ALGUMAS REGIÕES, ENTÃO O IDEAL É QUE TODO BRASILEIRO SEJA VACINADO CONTRA FEBRE AMARELA, EVITANDO QUALQUER RESTRIÇÃO DE ENTRADA EM OUTROS PAÍSES E ASSIM FAÇA UMA VIAGEM TRANQUILA E SEM SURPRESAS!)

 

Se ainda assim você está com dúvida se é obrigatório ou somente recomendado, acesse: o site da ANVISA e selecione o país que você irá visitar que aparecerá tudo o que é necessário ou recomendado!!! O regulamento sobre a vacinação em diferentes países muda frequentemente e ainda que esse post sempre passe por uma breve revisão e atualização, com o fato de o Brasil ter apresentado surtos dessa doença, o brasileiro torna-se um potencial transmissor da mesma, então, antes de ir, sempre verifique cuidadosamente as informações sobre vacinas necessárias e recomendadas na época de sua viagem através da ANVISA.

 

Bom, você já viu que é necessário e então agora chegou a hora da picadinha...

 

 

A vacina pode ser tomada em qualquer posto de vacinação municipal ou estadual portando somente seu documento de identidade e é gratuita! Após isso, você receberá um comprovante nacional de vacinação com data, local, lote da vacina e assinatura do profissional; guarde pois você irá usá-lo para providenciar a Carteira de Vacinação Internacional (CIVP).

 

A Carteira de Vacinação

Internacional é o documento que comprova internacionalmente a vacinação contra doenças,  pode ser emitida no próprio posto de saúde em algumas cidades, infelizmente não foi o caso da minha cidade; Se também não for o da sua, você deverá procurar um Centro de orientação de viajantes (Veja a lista aqui ), a Anvisa informa que estão iniciando um novo recurso para agendamento de atendimento, que antes não era necessário, então verifique se o Centro de Orientação desejado já disponibilizou o agendamento prévio para o atendimento, normalmente, os locais que exigem agendam por telefone ou e-mail. Para agilizar o processo, a Anvisa recomenda que seja preenchido um cadastro com suas informações pessoais aqui, no entanto eu não sabia e acabei fazendo na hora, no próprio local, o que não demorou muito. Para fazer esse documento é necessário: Comprovante nacional de vacinação (aquele que você recebeu ao tomar a vacina), certidão de nascimento ou documento de identidade oficial com foto, podendo ser: Carteira de identidade, passaporte, carteira de motorista, entre outros.

UMA DICA: Não emita sua CIVP com o número do passaporte ou carteira de motorista, pois ao vencer esses documentos você terá que renovar a carteira internacional que deverá conter o novo número de documento que foi utilizado. O ideal é que seja feito com a carteira de identidade (RG).

 

A isenção da vacinação ocorre em casos em que é contraindicada, como gestantes, bebês com menos de 6 meses de idade, pessoas em tratamentos imunossupressores, quimioterápico, radioterápico ou com medicamentos como corticoides, portadores do vírus HIV e pessoas com alergias a componentes da vacina e também alérgicas a ovo de galinha. Nesses casos, deve ser emitido o Certificado Internacional de Isenção de vacinação (CIIVP), podendo ser feito de duas formas:

  1.  O médico deverá emitir o Certificado Internacional de Isenção de vacinação (CIIVP), o qual a Anvisa sugere que seja feito nesse modelo aqui, o qual deve ser preenchido por completo, de forma legível, com nome, endereço,  CRM e assinatura do médico e o laudo médico informando a contraindicação.

  2.  O médico deverá emitir um laudo ou atestado, com o nome do viajante, nome, endereço e telefone do médico além de ser devidamente carimbado e assinado; e, juntamente com seu documento de identidade oficial com foto (RG, carteira de motorista, passaporte etc), em um dos Centros de atendimento, será emitido na hora e gratuitamente o Certificado internacional de isenção.

Para os menores de idade ou se você, mãe, está fazendo para seu filho, alertamos que o responsável deverá estar presente em todos esses passos, já na emissão da CIVP ou do CIIVP é opcional a presença do menor de idade, desde que, caso seja alfabetizado, o menor assine a carteira internacional da mesma maneira que assina o documento utilizado para a emissão da mesma. No caso de o menor não possuir RG, leve a certidão de nascimento e o RG do responsável.

 

As reações adversas da vacina podem ou não aparecer, essas podem ser: dor de cabeça, febre e mal-estar, mais comum entre o 5º ao 10º dia após a vacinação; mas fiquem tranquilos, poucas pessoas relatam ter, nós não tivemos nada além de uma leve dor no corpo.

 

Se você terá que correr para se vacinar e garantir uma viagem tranquila, fique feliz, pois de um tempo para cá as vacinas aplicadas valem para vida toda e consequentemente da CIVP. Caso sua viagem ocorra depois de Junho de 2016, fique MUITO mais feliz, pois o que antes seria preciso repetir a cada 10 anos para renovar a proteção da vacina, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou uma alteração do Regulamento Sanitário Internacional, em que a partir de Junho de 2016 tanto a vacina, quanto o CIVP terão validade por toda a vida!!! Lembrando que se você já é vacinado, mas sua vacina com validade de 10 anos vence antes de junho de 2016, recomenda-se que seja revacinada e a CIVP renovada, já que a referida mudança só acontecerá em Junho de 2016!  Não venceu minha vacina, mas perdi meu CIVP... Não se preocupe, vá até um dos Centros de Orientação e peça a segunda via!

Mas de qualquer forma, você tendo ou não uma viagem marcada, se vacine e quando surgir a oportunidade de embarcar, você só irá se preocupar com as malas!

 

Outras recomendações:

O Ministério da Saúde e a OMS recomendam para os viajantes, como forma de prevenção, outras vacinas como: a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), a DT (difteria e tétano), coqueluche, cólera, raiva, varicela, febre tifoide e a contra hepatite A e B. No entanto, o Brasil já exige, durante as fases da vida, que a maioria dessas imunizações sejam feitas. Então, antes de viajar fique atento em seu Calendário Vacinal do Programa de Imunização do Ministério de Saúde, certifique-se de que todas suas vacinas estão em dia, tudo é anotado em sua Carteira nacional de vacinação. Olhe com uma certa atecedência, pois há vacinas que necessitam ser tomadas em mais de uma dose, com intervalo de alguns meses entre elas.Já para previnir a Malária, Dengue, Zika vírus, chicungunha e encefalite japonesa, que são doenças transmitidas através de mosquitos e, ainda, sem vacina disponível no Brasil, é indicado a prevenção contra a picada do mosquito através do uso de repelente ( sempre depois do protetor solar) e roupas compridas, cobrindo as áreas expostas da pele. Como prevenção a muitas doenças contraidas através da alimentação, Não se esqueça:
Água – SEMPRE MINERAL, em caso de duvida, prefira água gaseificada.
Prefira alimentos muito bem cozidos!
Evite a todo custo suco de frutas naturais e gelo, pois não sabemos a procedência da água!

Lembre-se de contratar um seguro viagem, é sempre garantido para qualquer sufoco!!!

Depois de todas as prevenções, e aí vamos nós viajar...

 

 

Para qualquer sugestão, correção ou acrescentar informações importantes, deixe seu comentário!!!

Please reload

Please reload

Posts Relacionados